Quarta-feira
19 de Junho de 2019 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Agradecemos por sua visita, aguardamos suas sugestões e ou consultas.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 3,86 3,86
EURO 4,32 4,32

Previsão do tempo

Hoje - Vitória, ES

Máx
27ºC
Min
19ºC
Nublado

Quinta-feira - Vitória,...

Máx
30ºC
Min
19ºC
Nublado

Sexta-feira - Vitória, ...

Máx
25ºC
Min
21ºC
Chuva

Sábado - Vitória, ES

Máx
25ºC
Min
20ºC
Nublado

Hoje - Venda Nova do Imi...

Máx
25ºC
Min
17ºC
Nublado

Quinta-feira - Venda Nov...

Máx
27ºC
Min
19ºC
Nublado

Sexta-feira - Venda Nova...

Máx
25ºC
Min
17ºC
Chuva

Sábado - Venda Nova do ...

Máx
19ºC
Min
17ºC
Chuvas Isoladas

Hoje - Castelo, ES

Máx
29ºC
Min
13ºC
Nublado

Quinta-feira - Castelo, ...

Máx
30ºC
Min
15ºC
Nublado

Sexta-feira - Castelo, E...

Máx
22ºC
Min
15ºC
Chuva

Sábado - Castelo, ES

Máx
24ºC
Min
15ºC
Nublado

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Ministro nega seguimento a mandado de segurança contra ato da CCJ em discussão sobre PEC da Previdência

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou seguimento (julgou inviável) ao Mandado de Segurança (MS) 36414, no qual o deputado federal Afonso Motta (PDT-RS) questionava ato do presidente da Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania da Câmara dos Deputados (CCJC), Felipe Francischini (PSL/PR), que, com fundamento no Regimento Interno daquela Casa Legislativa, não permitiu a apresentação de emendas e destaques no processo em discussão da Proposta de Emenda Constitucional 6/2019 (PEC da Previdência). Segundo o ministro, a matéria tratada nos autos não pode ser apreciada pelo Poder Judiciário por se tratar de tema que deve ser resolvido na esfera de atuação do próprio Congresso Nacional. No MS, Motta alegava que o ato questionado fere o devido processo legislativo constitucional. Com a impetração, o parlamentar pretendia que a CCJC assegurasse a ele o direito de apresentar destaque para suprimir, total ou parcialmente, dispositivo da PEC 6/2019. Com base na jurisprudência consolidada da Corte, o ministro Ricardo Lewandowski entendeu que o MS não deve ter seguimento no Supremo. Para ele, o ato questionado está relacionado ao conflito interpretativo de normas regimentais do Congresso Nacional, questão interna corporis, que apenas diz respeito àquela Casa Legislativa e, por isso, não deve ser apreciada pelo Judiciário. Lewandowski lembrou que a questão apenas pode ter solução no âmbito do próprio Poder Legislativo, sob pena de desrespeito ao artigo 2º da Constituição Federal, que prevê independência e harmonia entre os Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário.  
12/04/2019 (00:00)

Contate-nos

Escritório de Advocacia e Consultoria

Rua Aureo Machado  608  Térreo
-  São Miguel
 -  Castelo / ES
-  CEP: 29360-000
+55 (28) 998855395
© 2019 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  980879
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.