Domingo
05 de Abril de 2020 - 

Controle de Processos

Insira seu usuário e senha para acesso ao software jurídico

Notícias

Newsletter

Agradecemos por sua visita, aguardamos suas sugestões e ou consultas.

Cotação da Bolsa de Valores

Bovespa 0,92% . . . .
Dow Jone ... % . . . .
NASDAQ 0,02% . . . .

Cotação Monetária

Moeda Compra Venda
DOLAR 5,30 5,30
EURO 5,72 5,72

Previsão do tempo

Hoje - Vitória, ES

Máx
27ºC
Min
23ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Vitória...

Máx
28ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Vitória,...

Máx
31ºC
Min
24ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Vitória,...

Máx
27ºC
Min
23ºC
Chuva

Hoje - Venda Nova do Imi...

Máx
26ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Venda No...

Máx
28ºC
Min
19ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Venda Nov...

Máx
31ºC
Min
21ºC
Parcialmente Nublado

Quarta-feira - Venda Nov...

Máx
23ºC
Min
20ºC
Nublado

Hoje - Castelo, ES

Máx
22ºC
Min
18ºC
Parcialmente Nublado

Segunda-feira - Castelo,...

Máx
31ºC
Min
20ºC
Parcialmente Nublado

Terça-feira - Castelo, ...

Máx
32ºC
Min
21ºC
Chuvas Isoladas

Quarta-feira - Castelo, ...

Máx
24ºC
Min
20ºC
Chuva

Webmail

Clique no botão abaixo para ser direcionado para nosso ambiente de webmail.

Ministro nega pedido de liberdade de ex-presidente da Câmara de Vereadores de Santa Bárbara (MG)

O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou o Habeas Corpus (HC) 180891, no qual a defesa do ex-presidente da Câmara de Vereadores de Santa Bárbara (MG) Juarez Camilo, acusado dos crimes de ordenação de despesa não autorizada e fraude em licitação, pedia a revogação da sua prisão preventiva. Ele é investigado no âmbito da Operação Apollo 13. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) e o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negaram a soltura de Camilo. No HC impetrado no Supremo, a defesa alegava a ausência dos pressupostos para a decretação da prisão preventiva e que o ex-vereador se encontra preso em razão de teóricas ameaças proferidas contra testemunhas. Argumentava também que os fatos dos quais ele é acusado teriam ocorrido em 2017, o que não justificaria a prisão até o momento. Segundo o ministro Alexandre de Moraes, no entanto, não há qualquer constrangimento ilegal a ser sanado, uma vez que o STJ confirmou o entendimento do TJ-MG e do juiz de primeira instância e destacou a necessidade da prisão preventiva. O relator observou que foi demonstrada a gravidade concreta das condutas imputadas ao ex-parlamentar, que, na condição de vereador e presidente da Câmara Municipal, teria praticado delitos contra a Administração Pública por meio de celebração de contratos fraudulentos. Isso, a seu ver, revela a necessidade da prisão preventiva para garantia da ordem pública. Outro ponto destacado pelo ministro foi que, segundo os autos, Juarez Camilo, junto com outros acusados, articulou persas formas de obstruir as investigações. Assim, a segregação cautelar também se justifica em razão da conveniência da instrução criminal.
14/02/2020 (00:00)

Contate-nos

Escritório de Advocacia e Consultoria

Rua Aureo Machado  608  Térreo
-  São Miguel
 -  Castelo / ES
-  CEP: 29360-000
+55 (28) 998855395
© 2020 Todos os direitos reservados - Certificado e desenvolvido pelo PROMAD - Programa Nacional de Modernização da Advocacia
Visitas no site:  1493791
Pressione as teclas CTRL + D para adicionar aos favoritos.